Filmes de Janeiro

Resolvi que esse ano quero registrar os filmes que vi. E que maneira mais legal de fazer isso que por aqui?

Garota Exemplar

Foi um filme de avião. Ele tem algumas falhas de roteiro, mas ele me distraiu bastante. E eu achei a Rosamund Pike ótima.

Relatos Selvagens

Um pouco de Tarantino, um pouco de Almodovar… são seis curtas do diretor argentino Damián Szifron. Não existe uma linha entre eles, apenas um tanto de loucura dos personagens. Eu gostei do humor mais negro dele, da cenografia e da atuação da maioria dos atores. 

A Teoria de Tudo

Fiquei com opiniões bem divididas. Gosto do tom comedido do filme quanto à história de superação do Hawking – mostra tanto os momentos em que ele foi forte como os momentos de mau humor. Mas ele tem também um tom de comédia romântica que achei meio desnecessário.

Livre

Gosto da história e da Reese Witherspoon, mas achei um pouco longo demais. Algo legal é a montagem, que intercala os momentos de caminhada em trilha da personagem com os problemas da vida dela antes de ir viajar.

Caminhos da Floresta

Mais um filme infantil para adultos – com quase duas horas e meia de duração e referências a vários contos de fada diferentes, acho pouco provável que agrade a pouca paciência das crianças. Ainda assim, acho que adultos que cresceram com os desenhos da Disney vão se divertir bastante com esse filme. O que mais gostei dele foi o roteiro – que mistura de um jeito bem interessante histórias como Chapeuzinho Vermelho, Rapunzel, Cinderela e João e o Pé de Feijão.

Celeste e Jesse para sempre

Muita gente já tinha me indicado esse filme e ah, não gostei tanto. É uma comédia romântica sobre um casal que começa o filme já separado (depois de seis anos de casamento). Mas eles têm uma certa dificuldade de se separar de fato e ficam em um meio termo de “somos amigos”. Em momentos diferentes os dois tentam voltar. Conclusão: é meio enrolado.  

Whiplash – Em busca da perfeição

Esse filme narra a história de um baterista que abandona vários aspectos da sua vida para tocar. No caminho, encontra um professor bastante exigente e com técnicas brutas de ensino. Achei o filme um tanto enrolado, mas gostei muito da trilha sonora – importante comentar aqui que ele é baterista de jazz.

Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

Gosto muito do jeito que ele foi gravado, dos takes, de alguns planos mais longos e das brincadeiras com efeitos especiais. Gosto do enredo, mas acho que podia ser um pouco mais curto. Acho a relação que ele faz com o Raymond Carver super simpática.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s